Ossuário de Tiago, irmão de Jesus, comprova a existência de Cristo

As fotos a seguir foram feitas por historiadores que comprovaram alguns fatos relacionados à existência de Jesus, questionada por alguns céticos, que infelizmente não aparecem nessas horas para provar o contrário. Apenas, falam o que não podem provar. Se quisermos negar os fatos históricos relativos à existência de Jesus, primeiramente, teremos que apagar, igualmente, a história e participação de alguns personagens citados na Bíblia.
 
ossuario de tiagoEste artefato em especial é hoje a maior prova, tanto, da existência de Jesus Cristo, como pessoa histórica, pois faz menção a ele diretamente, como também evidencia o contexto histórico do messias, mencionando Tiago como seu irmão e José, como seu pai.
A caixa mortuária pesa 25 quilos, tem 50 centímetros de comprimento por 25 centímetros de altura e vem com a seguinte inscrição em aramaico  “Tiago,  filho de José,  irmão de Jesus.”
A descoberta enfrentava um grande julgamento que já perdurava durante cinco anos, desde 2004. Nesses cinco anos, a ação se estendeu por 116 sessões. Foram ouvidas 133 testemunhas e produzidas 12 mil páginas de depoimentos.
Durante o processo, peritos da IAA tentaram desqualificar o ossuário,  justificando que a frase escrita nele em aramaico seria forjada. Depois, mudaram de ideia e se ativeram apenas ao trecho da relíquia em que estava impresso “irmão de Jesus” – apenas ele seria falso, afirmaram.
No entanto, a paleografia mostrou que as letras aramaicas eram do primeiro século, e que a primeira e a segunda parte da inscrição teriam a mesma idade e o estudo da pátina indicou que tanto o caixão quanto a inscrição teriam dois mil anos.
Ao se estudar os evangelhos, nota-se que os evangelistas não tiveram qualquer preocupação de elaborar um documento de registro histórico e geográfico.  A finalidade única era de exaltação e apresentação da mensagem ( Boa Nova) para transformação de toda a humanidade.
Por isso, há diferença nas referências, como os dados históricos do Evangelho segundo Mateus e do Evangelho segundo Lucas. Os outros Evangelhos não se referem ao nascimento de Jesus. Calcula-se que, pelos dados  fundados nos Evangelhos e nas fontes históricas, Jesus teria nascido no ano 7 a.C. E, ao começar sua vida pública,  teria, 34 anos.
60745f40Ilustração feita por autor desconhecido.
 
Outra descoberta recente, que tem causado impacto na arqueologia bíblica é o túmulo do apóstolo Felipe, que foi descoberto na cidade de Hierapólis, na Turquia. A estrutura do túmulo e os dizeres escritos nas paredes comprovam que ele pertence a São Filipe.

tumulo de felipe

Em 1968, em Jerusalém, foi encontrada pela primeira vez, a prova de que a crucificação era mesmo um método de tortura e morte utilizado na época pelos romanos. Arqueólogos encontraram ossos perfurados por pregos de metal, dentro de uma caverna da cidade sagrada dos cristãos. Estes relatos da crucificação estão de pleno acordo com os evangelhos (cf. Lucas 22,1; João 19,31).

crusificação provas

Outro episódio, igualmente interessante, ocorreu em 1962 e serviu para montar o panorama de Jesus Cristo, ao qual estamos mencionando. Arqueólogos encontraram uma inscrição comprovando Pôncio Pilatos, tido como o homem que condenou Jesus à morte, como governador da Judeia na época de Cristo. E nela, também, consta o nome do imperador Tibério em Cesárea Marítima, na época, a capital da Judeia.

inscrição de pilatos

A Inscrição de Pilatos é constituída de quatro linhas, todas grafadas em latim e começa com um título: “Pôncio Pilatos, governador da Judeia”, exatamente como está escrito no texto da Bíblia (Evangelho de Lucas 3:1, sendo que esse foi o primeiro achado arqueológico que menciona Pilatos e mais uma vez testemunha a precisão dos escritos bíblicos. Entretanto, anteriormente a essa descoberta mencionar Pilatos como governador da Judeia, era motivo de zombarias por parte dos críticos da Bíblia.
A cada ano, novas descobertas arqueológicas trazem a lume eventos e personagens bíblicos dos quais os ateus e céticos afirmavam nunca terem existido ou acontecido.
O fato é que, no que diz respeito à Bíblia e à figura de Jesus e seus personagens, os fatos são evidentes e comprovam boa parte da verdade do evangelho. E para fatos comprovados, não há argumentos.
Em momento algum, a arqueologia ou a história puderam contradizer as Escrituras Sagradas, em suas descobertas.

Por Sandra Régia Alves

Fonte :

http://www.opesquisadorcristao.com.br/2012/10/as-provas-concretas-da-eHistória do Cristianismo. Jesus Donini, Ambrogio.Volume I Edições70 (Pág. 286) Editora Jornal do Brasil (pág. 148)história de Roma. Giordani, Mário C. Vozes, 9ª edição (pág. 312)xistencia-de.htmlhttp://www.inricristo.org.br/entrevista_completa_portugues.htmhttp://www.jesusvoltara.com.br/sinaisvinda.htmJesus Histórico. Uma Brevíssima Introdução André Chevitarese e Pedro Paulo Funari, Kline, 2012

Imagens: internet.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s